Uncategorized

O Direito em meio ao caos.

Desde o momento em que o ser humano começou a organizar-se no que viria a se tornar grandes sociedades, houve a necessidade da criação de regras de conduta e divisão de tarefas. Não por acaso, as civilizações mais antigas desenvolveram princípios para regular seus integrantes desde as funções mais básicas, e, com o passar do tempo, esses princípios foram sofrendo alterações e criações conforme o meio e as suas mais latentes necessidades.
Tal característica, é vista tanto nas mais primitivas orientações sociais – como o Código de Hamurabi ou nos 10 mandamentos – , quanto nas antigas regras gregas e nas leis romanas. Até mesmo as mais modernas, sempre tiveram um ponto chave em comum: foram criadas com base numa forte necessidade, qual seja, o sentimento de que a ordem existente não contemplava plenamente os seus anseios; portanto uma crise.
Atualmente o Brasil vive uma crise político-econômico-social sem precedentes, e, como nunca antes, é fundamental a necessidade do direito se fazer presente, seja para reafirmar valores ou para garantir direitos. É nítido que o meio jurídico nunca esteve tão em voga, bem como nunca foi tão acionado como no presente momento! Vemos diariamente nos noticiários, manchetes relacionadas ao direito, seja pelo combate a corrupção, pela violência, pelas garantias individuais e coletivas, dentre tantas outras mais – não por acaso o judiciário integra um dos três poderes que dão suporte à nossa república.
Temos visto muitas empresas e comércios fechando, trabalhadores sendo mandados embora, pessoas recorrendo à justiça por não terem condições de arcar com altos juros dos contratos bancários, pessoas deixando de honrar com seus compromissos, o crédito imobiliário anda escasso, o crédito em geral também, os bancos receosos, o cidadão desesperado pois não sabe como será o amanhã. Se ele será!
Finalmente, são nesses momentos de caos, que o Direito se mostra como o principal pilar da sociedade e se impõe como um meio de controle para que as pessoas possam atravessar esse momento rumo a águas mais tranquilas.
Nesse rumo, conheça e confie no Direito, no seu direito de ser um melhor detentor de direitos.